Olá pessoal, hoje vou começar a semana falando sobre as sacolas plásticas.

Este assunto já rendeu muitas discussões nas cidades grandes. Quando o assunto é cobrar pela sacola plástica. 
Sendo de responsabilidade de o fornecedor pagar pela sacola sustentável ou do consumidor.
No meu ponto de vista, o brasileiro só reage a alguma coisa quando mexe no bolso.
Então nada melhor para reduzir o consumo de sacolas plásticas do que cobrando por elas.
Lógico que vai ter opiniões opostas. Mas, em outros países isso é uma prática natural.
Em 2007, quando eu viajei para a África do Sul, tinha apenas 15 anos, e lá já descobri o quanto o Brasil está atrasado, quando o assunto é preservar o Meio Ambiente.
Quando íamos ao mercado, a sacola plástica era cobrada, o que a primeira impressão nos causou estranheza, mas, depois descobrimos que era uma forma de não poluir a cidade que é Turística, e linda  (CIDADE DO CABO). E preservar o Meio Ambiente. Então carregávamos tudo em mochilas. Mas, lógico que eu comprei uma sacola em nível de recordação e a tenho até hoje.
E a partir daí, questiono porque o Brasil e os Estados e Municípios. Não podem cobrar pela sacola, que não quiser pagar que leve sua própria sacola ecológica, ou qualquer outro modo. Assim reduziríamos a poluição nas ruas, nos lixões, mares, rios.
Um dado importante tirado do Wikipédia relata que “Quase todos os sacos de plásticos não acondicionados em lixeiras acabam, mais cedo ou mais tarde, por chegar aos rios e aos oceanos. Os ambientalistas chamam a atenção para este problema e citam o fato de milhares de baleiasgolfinhostartarugas-marinhas e aves marinhas morrerem asfixiadas por sacos de plástico”
Vamos pensar a respeito, e tentar consumir menos sacos ou sacolas plásticas e ajudar o planeta a natureza.

Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. 
Art. 33.  São obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa, mediante retorno dos produtos após o uso pelo consumidor, de forma independente do serviço público de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos, os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de: 
I - agrotóxicos, seus resíduos e embalagens, assim como outros produtos cuja embalagem, após o uso, constitua resíduo perigoso, observadas as regras de gerenciamento de resíduos perigosos previstas em lei ou regulamento, em normas estabelecidas pelos órgãos do Sisnama, do SNVS e do Suasa, ou em normas técnicas; 
II - pilhas e baterias; 
III - pneus; 
IV - óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens; 
V - lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; 
VI - produtos eletroeletrônicos e seus componentes. 
§ 1o  Na forma do disposto em regulamento ou em acordos setoriais e termos de compromisso firmados entre o poder público e o setor empresarial, os sistemas previstos no caput serão estendidos a produtos comercializados em embalagens plásticas, metálicas ou de vidro, e aos demais produtos e embalagens, considerando, prioritariamente, o grau e a extensão do impacto à saúde pública e ao meio ambiente dos resíduos gerados. 


Abraços, 

Alana 

Comentários

  1. Concordo com você Alana, por que não cobrar?
    É triste saber, que em educação e respeito à natureza, estamos tão atrasados.
    Por mais que se mostre os estragos que o plástico faz ao meio ambiente, ninguém se conscientiza que é preciso mudar os hábitos.
    O mercado vende e nós deveríamos nos responsabilizar pelo que compramos e, como transportar as compras, pois somos nós que consumimos.
    Já vi algumas sacolas de TNT, vendidas em mercados, que podem ser usadas várias vezes. Vi uma ideia de reaproveitamento das telas usadas em construções, são resistentes e fáceis de levar, enfim, existem várias alternativas para se restringir o uso de sacolas plásticas.
    É uma questão de consciência ecológica, mudar hábitos nocivos ao meio ambiente.
    Em casa, separo tudo por itens e só entrego a quem fará o manejo adequado desses resíduos.
    Cada um fazendo a sua parte, poderá mudar nosso futuro, depende de nós!
    Muito bom seu alerta, obrigada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas